Central de Atendimento: 0800.772.6995

Dúvidas sobre raios

Dúvidas sobre raios

O que é um raio?
É um fenômeno natural também chamado popularmente de relâmpago. É uma descarga elétrica ou descarga atmosférica que ocorre no interior das nuvens ou entre a nuvem e a terra.

Qual o poder destrutivo de um raio?
As descargas atmosféricas apresentam um alto poder destrutivo, dada a corrente do raio (2 a 200 quiloàmperes), apesar de sua curta duração, cujo período crítico na faixa de dezenas de microssegundos. Entretanto só uma parcela da energia disponível no raio é que irá atingir as diferentes unidades consumidoras da rede de baixa tensão: residências, escolas, hospitais, indústrias, estações de telecomunicações, escritórios, etc. Esses “raios” podem causar destruição de residências que venham a ser atingidas e freqüentemente causam “explosão” de transformadores da rede de energia elétrica, além de danos eletrodomésticos, mesmo que tenham caído a longa distância das residências.

Como o raio chega até sua casa?
Do ponto de vista da avaliação dos efeitos dos raios sobre os sistemas de energia existem duas situações principais a considerar:
Incidência Direta (descarga direta): Ao atingir diretamente as instalações e/ou a rede elétrica a descarga se propaga estabelecendo valores elevados de sobretensão nos diferentes circuitos de distribuição em função da impedância dos caminhos percorridos.
Incidência Próxima (descarga indireta): Quando a descarga atinge as proximidades de uma rede elétrica, a existência de diferentes formas de acoplamento (resistivo, indutivo ou capacitivo) permite que parte da energia do raio seja transferida para as instalações elétricas, ocasionando o surgimento de sobretensões nos diferentes circuitos de distribuição.

Onde o raio costuma cair?
O raio sempre procura o caminho de menor “resistência elétrica” entre a nuvem e a terra. Os pontos altos e pontiagudos favorecem o início da descarga elétrica e são estes os de maior probabilidade de serem atingidos.

Por que os equipamentos queimam?
A principal causa das “queimas” de equipamentos eletro-eletrônicos são as perturbações normalmente existentes na rede elétrica, notadamente as sobretensões transitórias. Estas sobretensões nas linhas elétricas de baixa tensão são provocadas tanto por “faltas” em outra instalação e ou linha de tensão e/ou linha de tensão mais elevada quanto por chaveamentos de cargas elétricas, ou ainda descargas atmosféricas (raios).

O que é surto elétrico?
Ao atingir a rede elétrica direta ou indiretamente, os raios causam aumento súbito da tensão (voltagem). Esse fenômeno é chamado de surto elétrico, que se propaga até encontrar um ponto de passagem até a terra. Esse ponto de passagem pode ser o eletrodoméstico ou aparelho eletrônico de sua casa, que nesses casos podem sofrer danos irreparáveis.

DICAS DE PROTEÇÃO

PÁRA-RAIOS EXTERNOS
São projetados para projetar as edificações e, em parte, as pessoas que nelas estão. A sua função é levar a energia do raio com segurança para a terra. Sua instalação deve seguir norma específica (ABNT 5419:2001) e deve ser feita por profissionais especializados. O pára-raios externo não proteje os aparelhos eletroeletrônicos, pois não elimina os surtos elétricos.

ATERRAMENTO
O aterramento é a ligação elétrica intencional com a terra por meio de um fio condutor de segurança (fio terra) e hastes metálicas cravadas no solo. Na maioria das residências, o fio neutro também é condutor de segurança (esquema TNC da norma técnica) e é instalado e aterrado junto ao medidor de entrada de energia (relógio de luz). Mas atenção, o fio terra, isoladamente, não protege o aparelho dos surtos elétricos.

COMO PROTEGER SEUS EQUIPAMENTOS

Filtros de linha, estabilizadores e nobreak
(O item 5.5 da NBR 5410:1997 – Proteção contra quedas e faltas de tensão regulamenta estas instalações.)
São utilizados em computadores e equipamentos eletrônicos que necessitem de um fornecimento de energia ininterruptível e estável. Também é possível proteger os equipamentos ligados à rede telefônica. Os filtros de linha eliminam ou atenuam apenas ruídos de radiofreqüência e interferências eletromagnéticas geradas na própria instalação. Já os estabilizadores funcionam para minimizar variações lentas e pequenas de tensão na rede elétrica. A principal função do Nobreak é fornecer energia ininterrupta aos equipamentos, mesmo na ausência total de energia proveniente da rede elétrica. ENTRETANTO, ATENÇÃO: OS FILTROS DE LINHAS, ESTABILIZADORES E NOBREAK NÃO PROTEGEM TOTALMENTE OS EQUIPAMENTOS, POIS ELES NÃO OFERECEM PROTEÇÃO CONTRA OS SURTOS ELÉTRICOS.

DPS – Dispositivo Protetor contra Surto
(O item 5.4.3 da NBR 5410:1997 – Sobretensões de origem atmosférica regulamenta estas instalações.)
Um dos dispositivos disponíveis no mercado são os DPS, Dispositivo Protetor de Surtos. É um equipamento eletrônico que fica instalado junto ao quadro de distribuição central de rede elétrica, como se fosse um disjuntor, porém fica em paralelo com a rede elétrica da residência, não interrompendo a distribuição de energia em caso de mau funcionamento deste dispositivo. Como o próprio nome diz, este dispositivo só protege as instalações contra os surtos, ou seja, quando uma descarga atmosférica incide direta ou indiretamente na rede elétrica que alimenta sua residência, a corrente induzida que atingiria os equipamentos, caso este não fosse utilizado, passa por ele. São indicados para regiões onde a incidência de descargas atmosféricas é igual ou superior a 25 dias/ano e estão disponíveis para proteção de surtos de 8kA a 90kA “POSSUINDO OU NÃO OS PROTETORES ADEQUADOS CONTRA RAIOS, EM CASO DE TEMPESTADES, DESLIGAR OS APARELHOS ELÉTRICOS OU ELETRODOMÉSTICOS DA TOMADA SEMPRE É O MAIS RECOMENDADO”.

Veja também outras dicas da Cemirim

SrMirinho

Para eventuais dúvidas, ligue para nosso SAC 0800.772.6995